Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 08/05/2013
  • 10:58
  • Atualização: 19:14

Quatro marcas de leite teriam lotes alterados com formol

Confira os produtos que foram retirados de circulação do mercado

  • Comentários
  • Correio do Povo

As investigações da Operação Leite Compensado, deflagrada pelo Ministério Público (MP) do Estado nesta quarta-feira, identificaram quatro marcas de leite que teriam lotes alterados com adição de formol. De acordo com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), foram detectadas irregularidades em produtos Bom Gosto, Italac, Latvida e Mumu. A estimativa é de que cerca de 100 milhões de litros do produto tenham sido adulterados no Estado.

Procon orienta consumidores

Oito pessoas foram presas na ação, entre funcionários e empresários do ramo. Foram cumpridos nove mandados de prisão e oito de busca e apreensão nas cidades gaúchas de Ibirubá, Guaporé, Horizontina. 

Ainda segundo o MP, cinco empresas de transporte de leite teriam adulterado o produto cru entregue para a indústria. Uma das formas de adulteração identificada é a da adição de uma substância semelhante à ureia e que possui formol em sua composição, na proporção de 1 kg deste produto para 90 litros de água e mil litros de leite.

A fraude teria sido comprovada por meio de análises químicas do leite cru, quando foi identificada a presença do formol, que mesmo depois dos processos de pasteurização, persiste no resultado final. Com o aumento do volume do leite transportado, os "leiteiros" lucravam 10% a mais que os 7% já pagos sobre o preço do leite cru, em média R$ 0,95 por litro.

As empresas investigadas teriam transportado aproximadamente 100 milhões de litros de leite entre abril de 2012 e maio de 2013. Desse montante, estima-se que um milhão de quilos de ureia, contendo formol, tenham sido adicionados. Amostras coletadas no decorrer da investigação em supermercados de Porto Alegre apontaram fraude em 14 lotes de leite UHT.

A simples adição de água, com o objetivo de aumentar o volume, acarreta perda nutricional, que é compensada pela adição da ureia – produto que contém formol em sua composição – e é considerado cancerígeno pela Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer e pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A adulteração consiste em crime hediondo de corrupção de produtos alimentícios, previsto no Código Penal.



Fonte: Mapa e MP/RS


Bookmark and Share