Reche.gif

APANHOU MUITO. CHIOU POUCO

O Inter apanhou violentamente do Coritiba na última quarta feira. Sálvio Spínola Fagundes Filho, que é um grande árbitro, deixou o pau cantar em pleno Gigante da Beira Rio. A imprensa e o técnico Tite lamentaram profundamente as atitudes dele. No entanto, os dirigentes reclamaram muito pouco. O Inter está vacinado. Em tempos idos, quando chiava aos montes, não ganhava nada. São coisas distintas. Ainda acho que o Inter deveria mandar um DVD para a CBF, mostrando o descalabro da atuação do paulista no primeiro tempo. Se fizer uma boa montagem, impressiona. E houve, pelo menos, um pênalti. Foi um horror. Esperto, Renê Simões distorceu na entrevista após o jogo, dizendo que quem bateu foi Magrão, claro que preparando o clima para o jogo da volta. Todo o colorado lembra de 2005, e o Corinthians vem aí. E bem diz aquele ditado: cachorro mordido por cobra tem medo de linguiça.

GRÊMIO SIM, INTER AINDA NÃO

Acho que o Grêmio está classificado. O Inter ainda não. Acontece que o Coritiba, além de ser um time centenário, tem Marcelinho Paraíba e Carlinhos Paraíba. Dois excelentes jogadores. E uma baita torcida.O Caracas não tem tradição e nem camisa para ser ameaça ao Grêmio. É verdade que na Vila Belmiro, não faz muito, assustou o Santos, mas os tempos são outros. Para mim, o Grêmio está 99% na próxima fase e o Inter, 80%.

ALTO-FALANTE

No último jogo de Inter e Coritiba, a menina que falava no alto-falante se enganou e disse: 'Vamos lá, torcida tricolor'. Coitada. Levou uma vaia enorme de todo o estádio. Até aí eu entendo. O que não dá para aguentar é dirigente do segundo escalão querer humilhar a locutora atrapalhada. Um erro não justifica outro. Grosso tem que ir pra casa.

PARCERIAS

Não sou contra parcerias. Mas não tem como deixar de questionar detalhes. Digamos, surge proposta para o empresário, e o clube acha pouco, o que vale? Exemplo: Nilmar quer sair, mas não para qualquer lugar, e se surgir proposta milionária do Catar, digamos. Como fica? Vai ou não? Três partes envolvidas e a mais frágil é a do clube? Delcir Sonda deve ter 30 milhões no Inter, resolve tirar, a agremiação fica obrigada a vender? Ibson interessa a Sonda que quer colocá-lo no Inter, o clube tem que trazê-lo? Com Kleber e Bolaños foi assim? Eles não custaram nada? Qual a vantagem? Só na venda? Claro que o clube fica com obrigações para com o parceiro. Exemplo: cedendo 20% de Taison. E aí, tem como ser diferente?

FOLHA PESADA

Um informante me disse que a folha de pagamento do Grêmio ultrapassa R$ 3 milhões. Ou seja, está parecida com a do Inter. Se ganhar a América está tudo justificado. Do contrário será dureza aguentar a oposição. Com esta folha, o elenco teria que ser superior. Ou não? Quem sabe seja por isso que o meia não veio.

INSCRIÇÃO

Reforço vindo de fora, só para o Brasileiro. Para Libertadores, teria que ser um em atividade no Brasil. A janela fechou e não tem como repatriar alguém agora e colocar em campo imediatamente.

NILMAR AINDA

Consta que Nilmar tem contrato com o Inter até o final de 2010. Quem sabe seja por isso que ele tenha que sair agora. Ou é vendido, ou ele espera até o meio do ano que vem, pós-copa, e firma um pré-contrato com quem ele bem entender e o Inter não leva nada. E como ficaria neste caso o Sonda? O Inter faz igual como o Grêmio fez no passado? Repassa um percentual de outro jogador para não ferir o parceiro?

NÃO CONTABILIZADOS

Como pode em plena era moderna, com Conselho Fiscal atuando, ainda aparecerem despesas não documentadas? Quer dizer que se gasta o que bem se entende e fica por isso mesmo? E a oposição? Clubes que trabalham assim, vira e mexe, tem que aparecer salvador da pátria para acertar as finanças. Tem que haver contabilização e documentos quentes pra tudo. Certo?

HISTÓRIAS DE VIDA

Lima Duarte é um dos maiores atores do Brasil. Há 20 anos, aproximadamente, entrevistei o global. Ele me falava com muita preocupação da crise do São Paulo. Lima me disse que estava fazendo marketing de graça para o time do Morumbi e se fosse preciso ampliaria o apelo para outros artistas. Os tempos agora são outros. É, por isso, que não tem que haver soberba quando se está por cima. E isso não vale só para o Tricolor do Morumbi. Vale para todos.

CP MEMÓRIA
82FOTO01.JPG
POR ONDE ANDA


Paulo Nunes. O diabo loiro fez chover aqui. Para ele, Felipão foi mais que técnico, foi pai. Recorda que na época se jogava três vezes por semana e não se reclamava. 'Hoje, só tem frescura', destaca. Paulo Nunes foi o primeiro a ganhar R$ 100 mil por mês num clube no RS. Isso há mais de dez anos. Orgulha-se de ter sido goleador no Grêmio e no Palmeiras. Quando saiu e foi para o Benfica, o Grêmio quis bancar a permanência pelo mesmo valor e com um contrato do mesmo tamanho, cinco anos, só não ficou porque haveria ciúmes. Outro episódio foi o da Copa das Confederações (competição gelada que serve para testar as condições do país-sede da Copa), em 97, na França. Zagalo levou P.Nunes e ele não jogou. Pediu para o técnico o liberar para duas partidas da Libertadores. Não levou. E o Tricolor foi eliminado. Até hoje se comunica com Dinho, Carlos Miguel, Danrlei e Adílson. Tem três filhos homens: Luan, 17, Arílson Filho, 15 (este odeia futebol) e Alexandre, 11. Arílson de Paula Nunes nasceu em 30/10/1971, hoje se diz homem sério, levando grande amor com Ivana, uma catarinense. Vive bem. Passeia, visita amigos, está sempre no RS. A carreira foi de poucos clubes: Flamengo, Grêmio, Benfica (ficou oito meses e não recebeu), Palmeiras, Grêmio, Corinthians, Al Jeddah e encerrou no Gama. No Corinthians não deu certo, porque a torcida marcou muito pela passagem no Palmeiras, onde provocava usando máscaras da tiazinha. Atualmente investe na construção civil, tem fazendas, centro esportivo, aluga quadras sintéticas. Ainda sobra tempo de jogar show boll. Mora em Goiânia. Não foi empresário porque não aguenta as manias dos boleiros. Tentou e desistiu.

LCR@RADIOGUAIBA.COM.BR