De Primeira/Hiltor Mombach

DEPRIMEI


RELATÓRIO

Conclusão do relatório da comissão especial criada pelo Conselho Deliberativo do Grêmio para 'acompanhar os procedimentos judiciais, policiais e administrativos referentes aos cheques emitidos pela ISL para o Grêmio e que não foram objetos de registros contábeis pelo clube e, ainda, os demais fatos, correlatos ou não, que estão sendo divulgados conjuntamente pela imprensa'.

'Esta comissão propõe a submissão do presente relatório ao Conselho Deliberativo, com a indicação de encaminhamento da questão à Comissão de Ética para que adote as medidas cabíveis a José Alberto Machado Guerreiro, na condição de conselheiro, e Martinho Clovis Camelo de Farias, como associado'.

Antes da conclusão, afirma: 'Estamos, efetivamente, diante de um caso omisso do estatuto em vigor, que neste caso deve ser objeto de deliberação pelo órgão colegiado'.


CAMISA I
 O gremistão Marco Rocha reclama: 'Tentei comprar uma camisa do Grêmio, mas não consegui. Estão fazendo camisas para modelos: a torcida tem os seus gordinhos, onde me incluo, mas jamais posso me considerar obeso'.

CAMISA II
 Diz ainda: 'Meu filho comprou uma GG, o que, para um menino de 14 anos com 1,70m e 62 quilos, seria um exagero, mas foi a que serviu'. Não é o primeiro queixoso.

ESCALAÇÃO I
 Imagino que Mossoró e Rentería, jogadores bancados por empresários e badalados, terão chance no time principal. Pergunto: quem sairá? Sacar Sobis, o goleador do Inter no Brasileiro, para entrada de Rentería? Retirar um volante para colocar Mossoró? Ou desta vez Muricy desmontará o 3-5-2, deixando no banco um zagueiro?


ESCALAÇÃO II
 Rentería e Sobis no ataque? Fernandão não sai. Tinga não sai. O time precisa de um volante e o nome do momento é Gavilán. Sobraria Perdigão? Nesse caso, Tinga teria que jogar como segundo volante, ele que hoje atua mais ofensivamente. O time ficaria vulnerável.

ESCALAÇÃO III
 Vejam: o Brasileiro afunila e o Inter tem bons jogadores para estrear. Há munição no Beira-Rio. Fernando Carvalho dá condições ao treinador, que terá que trabalhar com o excesso. Tentem imaginar Chiquinho e Iarley à disposição.

SEGURANÇA
 O segundo jogo contra o Rosario Central será no Beira-Rio. Excelente. Sim, porque, decidisse a vaga no estádio Gigante del Arroyito, na Argentina, os riscos seriam ainda maiores. Quando o jogo é lá, eu sempre temo pela violência.


TIRO LIVRE

No Correio do Povo de 1962: 'Quando faltavam dois minutos para o final do jôgo, estourou um grôsso sururu, depois que o keeper Andrade atingiu o jogador Sérgio Lopes. O resultado foi a explosão de um sururu sem tamanho'.

E tratava-se de um amistoso entre Rosario e Inter.

Correio destacava que o 'match foi uma decepção total'.

Taffarel relata que, jogando pelo Atlético-MG contra o Rosario, foi ameaçado por um policial.

Foi ótimo rever Antônio Carlos Porto, Jodoé Souza, Samuel Santos, Élio Fagundes e Lupi Martins no 'Cadeira cativa' de ontem.

O goleiro Felipe, do Vitória, acusou o presidente do clube, Paulo Carneiro, de tê-lo chamado de 'negro safado', 'preto vagabundo' e 'vendido'.

Carneiro teria acusado Felipe de ter recebido R$ 5 mil para 'entregar o jogo' contra a Portuguesa. A partida terminou 3 a 3.


E-mail: hiltor@correiodopovo.com.br
Correio do Povo
Porto Alegre - RS - Brasil